Donna Summer La Dolce Vita

terça-feira, 14 de maio de 2013

Angelina Jolie anuncia ter retirado seios para evitar câncer




Atriz, mãe e embaixadora; veja trajetória de Angelina Jolie100 fotos 68 / 100
Conhecida por adorar uma adrenalina, Angelina Jolie dispensa dublê e arrisca-se durante a filmagem de "Salt". A atriz ficou pendurada na parede de um prédio na cidade de Nova York por um cabo de aço (12/3/09)
A atriz Angelina Jolie anunciou ter se submetido a uma mastectomia dupla (retirada dos seios) para reduzir suas chances de desenvolver câncer de mama.
Jolie, de 37 anos, explicou suas razões para a cirurgia em um artigo publicado na edição desta terça-feira (14) do jornal americano "The New York Times".
Ela disse que os médicos estimaram que ela tinha um risco de 87% de desenvolver câncer demama e de 50% de ter câncer de ovário.
"Decidi ser proativa e reduzir o risco o máximo que eu podia", afirmou a atriz, mãe de seis filhos.
Ela afirmou que o processo de retirada dos seios começou em fevereiro e foi completado em abril, com a reconstrução dos seios usando implantes. "Houve muitos avanços nesse procedimento nos últimos anos, e os resultados finais podem ficar bonitos", escreveu a atriz em seu artigo.

JOLIE RETIRA SEIOS PARA EVITAR CÂNCER DE MAMA

No artigo intitulado My Medical Choice (minha escolha médica), Jolie explicou que sua mãe lutou contra o câncer por quase uma década e morreu aos 56 anos.
Ela disse que procurou garantir aos seus filhos que a mesma doença não a tiraria deles. "Mas a verdade é que eu tenho um gene falho, o BRCA1, que aumenta consideravelmente minhas chances de desenvolver câncer de mama e câncer de ovário", disse.
Feminilidade intacta
Segundo a atriz, uma vez que ela "soube que essa era a realidade", tomou a decisão de passar pelo processo cirúrgico de nove semanas para a mastectomia dupla.
De acordo com ela, suas chances de desenvolver câncer de mama agora caíram de 87% para menos de 5%.
Ela elogiou seu companheiro, o também ator Brad Pitt, por seu amor e apoio durante o procedimento, e disse que seus filhos não encontraram nada nos resultados "que os deixem desconfortáveis".
"Eu me sinto segura de que fiz uma escolha dura e que de maneira nenhuma diminui minha feminilidade", disse ela. "Para qualquer mulher que esteja lendo isso, espero que isso ajude você a saber que tem opções", afirmou.
"Quero estimular cada mulher, especialmente se você tem um histórico familiar de câncer de mama ou de ovário, a procurar informações e especialistas médicos que podem lhe ajudar nesse aspecto de sua vida e a fazer sua própria escolha informada", comentou.
Brad Pitt se pronunciou sobre a decisão de Jolie e disse que foi "realmente heróica". "Ao ter testemunhado sua decisão em primeira mão, eu achei a decisão de Angie, assim como de tantas outras como ela, realmente heroica", disse Pitt. "Eu agradeço a equipe médica por seu cuidado e atenção", disse ele por meio de um comunicado enviado ao "Evening Standard", de Londres.
Agenda lotada
Durante o período em que se submetia ao procedimento cirúrgico para a retirada dos seios, Jolie visitou a República Democrática do Congo como enviada especial da ONU para causas humanitárias.
Em seguida, ela participou da reunião do G8 em Londres e incentivou a criação de uma ONG fundada pela jovem estudante e blogueira paquistanesa Malala Yousafzai, para financiar a educação de meninas no Paquistão.
Malala foi ferida em outubro do ano passado por um tiro dado à queima roupa dado por um integrante do Talebã.
A mastectomia dupla tem se tornado mais frequente entre mulheres consideradas no grupo de alto risco para o desenvolvimento de câncer de mama, por conta da evolução na compreensão do papel genético no aparecimento da doença.
No final do ano passado, a mulher do cantor Ozzy Osbourne, Sharon Osbourne, também revelou a uma revista que havia passado por uma mastectomia dupla após descobrir ter o gene BRCA1.
Biografia
Nascida em 1975, filha dos atores Jon Voight e Marcheline Bertrand, Jolie teve uma infância e uma adolescência conturbadas, em que ela teria usado drogas e se automutilado.
Em 2000, ela ganhou um Oscar de melhor atriz coadjuvante pelo seu papel em "Garota, Interrompida" e no ano seguinte, ao filmar "Lara Croft" no Camboja, começou a se interessar por causas humanitárias.
Jolie foi por 10 anos embaixadora da ACNUR, a agência de refugiados da ONU, e agora é enviada especial do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.
Entre outras campanhas, ela se engajou na conscientização sobre o problema da violência sexual em zonas de conflito, visitando Darfur, Iraque, Afeganistão e Líbia.
Jolie recebeu a cidadania honorária de Sarajevo por seu filme "Na Terra de Amor e Ódio", sobre a Guerra da Bósnia, lançado em 2011.
Casada com o ator Brad Pitt, ela tem seis filhos: três biológicos (Shiloh, Knox e Vivienne) e três adotados (Maddox, do Camboja, Zahara, da Etiópia e Pax do Vietnã). UOL


Nenhum comentário:

Postar um comentário